URGENTE

CAMPO GRANDE

Carteiro morre atropelado por carreta em avenida de Campo Grande

De acordo com o tenente Silvanei Barbosa, do Corpo de Bombeiros, o carteiro chegou a ser arrastado e ficou debaixo das rodas. Quando o resgate chegou, ele estava em parada cardiorrespiratória e sem pulso. Houve tentativa de reanimação, mas sem sucesso. O carteiro teve múltiplas fraturas, principalmente nas costelas e pernas.

Publicados
















Carteiro morreu atropelado na tarde desta segunda-feira (14). Foto: Leonardo de França

O carteiro Eliovaldo Cargas Costa, de 54 anos, morreu atropelado por uma carreta na tarde desta segunda-feira (14), no cruzamento da Avenida Manoel da Costa Lima com a Avenida Presidente Ernesto Geisel, região do Guanandi, em Campo Grande. Equipes do Corpo de Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) chegaram a ser acionadas, mas pouco puderam fazer.

O motorista da carreta, de 52 anos, disse que descia pela Avenida Manoel da Costa Lima, com intuito de entrar à direita na Ernesto Geisel. Ele relata que enquanto trafegava, viu o funcionário dos Correios atrás, de bicicleta, pelo retrovisor. Ao chegar no cruzamento, o motorista parou por causa do semáforo e, quando o sinal abriu, saiu fazendo conversão à direita, sem notar o carteiro que estava em ponto cego.

Neste momento, sentiu o impacto e viu várias pessoas gritando. Ele desceu e notou que a vítima havia sido atropelada e estava debaixo da carreta. O homem voltou para o veículo, deu à ré e aguardou a chegada do socorro. O carteiro não resistiu e morreu no local. Equipes da Polícia Civil e perícia se deslocam para atendimento.

Leia Também:  Homem sai para trabalhar e tem residência furtada em Rio Brilhante

De acordo com o tenente Silvanei Barbosa, do Corpo de Bombeiros, o carteiro chegou a ser arrastado e ficou debaixo das rodas. Quando o resgate chegou, ele estava em parada cardiorrespiratória e sem pulso. Houve tentativa de reanimação, mas sem sucesso. O carteiro teve múltiplas fraturas, principalmente nas costelas e pernas.

O condutor da carreta disse que é de Rio Claro (SP) e que estava em Campo Grande para uma entrega de pisos. Após concluir o serviço, iria para Aquidauana, buscar outro carregamento, e retornaria para São Paulo. Ele alega que em 30 anos de profissão jamais havia se envolvido em acidente fatal como este.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MAIS LIDAS DA SEMANA