URGENTE

TUDO DEU CERTO

Bebê Rio-brilhantense é salvo com as duas últimas bolsas de sangue que havia no estoque 

Sensibilizada com a falta de bolsas, que quase deixou o recém-nascido sem cuidados, mãe começou campanha.

Publicados
















Depois do sufoco, a analista administrativa Jenniffer Arnt, de 33 anos, começou uma campanha para incentivar a doação de sangue do tipo O positivo. A falta de bolsas colocou em risco a vida do seu filho, recém-nascido, que acabou recebendo as duas últimas no estoque de Dourados.

“A enfermeira me disse que eram as duas últimas bolsas de sangue e que haviam dado prioridade para o meu filho. Fiquei com o coração partido, porque outra pessoa que também precisava, ficou sem”,

Contou Jenniffer, que deu à luz no dia 9 de setembro e horas depois, o menino, Leonardo, foi diagnosticado com icterícia grave.

Ele ainda está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Santa Rita, em Dourados e deve receber alta amanhã, cinco dias depois de ter “trocado de sangue”. A doença foi causada pela incompatibilidade do sangue da mãe com a dele e desde o dia 9, ele está na UTI e em fototerapia.

“O meu é fator negativo e o dele, positivo. Houve contato do meu sangue com o dele e isso aumentou a bilirrubina, que ocasionou o amarelão”,

Contou a mãe.

O problema pode trazer sequelas e até levar à morte, porque o excesso de bilirrubina pode chegar ao cérebro, causando lesões que podem gerar paralisia cerebral, surdez, problemas de visão e dificuldades de desenvolvimento intelectual.

Leia Também:  Veja onde a CCR MSVia implanta pare-e-siga na BR-163/MS nesta terça-feira (12)

HEMOSUL – Nesta quarta-feira, o Hemosul em Mato Grosso do Sul amanheceu com apenas 15% do estoque necessário do sangue O positivo. O ideal é ter 245 bolsas, mas havia apenas 36, que foram distribuídas em questão de minutos, conforme a assessoria de imprensa da entidade. Outros tipos também com estoque abaixo do necessário são O negativo, A positivo e negativo e B positivo, com apenas 40%, 28%, 36% e 42% do necessário, respectivamente.

Conforme a assessoria de imprensa do Hemosul, em tempos de clima seco, as doenças respiratórias aumentam e afastam os doadores, porque se há pessoas doentes, elas não procuram fazer doação de sangue.

 

Confira onde doar sangue no Estado:

 

HEMOSUL COORDENADOR

Av. Fernando Corrêa da Costa, 1304, Centro – Campo Grande/MS

Fones: (67) 3312-1500 / 3312-1517 – Agendamentos: (67) 3312-1516 / 3312-1529 e (67) 99298-6316 whatsapp

Segunda à Sexta: 7h às 17h

Sábado: 7h às 12h

* 1º e 3º sábado de cada mês o atendimento é das 7h às 17h

 

HEMOSUL SANTA CASA

Rua Rui Barbosa, 3633, Centro – Campo Grande/MS

Leia Também:  Rio-brilhantenses foram presos em flagrante por tráfico em Dourados. Ambos com Tornozeleiras

Fones: (67) 3322-4135 / (67) 99273-7356 whatsapp

Segunda à Sexta: 7h às 11h

 

HEMOSUL HOSPITAL REGIONAL – HRMS (FECHADO PARA REFORMA)

Rua Engenheiro Lutherio Lopes, 36, Aero Rancho – Campo Grande/MS

Fone: (67) 3378-2678

 

HEMOSUL DOURADOS

Rua Waldomiro de Souza, 295, Vila Industrial

Fone: (67) 3424-4192 / (67) 99239-9421 whatsapp

Segundas, Quartas e Sextas: 7h às 12:30h

Terças e Quintas: 7h às 12h e das 13h às 17h

Último sábado de cada mês: 7h às 12h

 

HEMOSUL TRÊS LAGOAS

Rua Manoel Rodrigues Artez, 520, Colinos

Fone: (67) 3522-7959

Segunda à Sábado: 7h às 12h

 

HEMOSUL PONTA PORÃ

Rua Sete de Setembro, 1896 – Santa Isabel

Fone: (67) 3431-6134

Segunda à Sexta: 7h às 12h

 

HEMOSUL PARANAÍBA

Rua Selma Martins de Oliveira, 335, Ipê Branco I

Fone: (67) 3503-1026

Segunda à Sexta: 7h às 11h

 

HEMOSUL COXIM

Rua Gaspar Reis Coelho, 361, Bloco B – Bairro Flávio Garcia

Fone: (67) 3291-2906

Atendimento quinzenal com agendamento prévio

Segunda: 7h às 11h e das 13h às 17h

Terça: 7h às 11h

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MAIS LIDAS DA SEMANA